6 razões importantes para as equipes de TI adotarem o backup em nuvem

June 22nd, 2021

BACKUP DE DADOS | Equipe da Arcserve

Em 2020, em poucos dias, a “transformação digital” deixou de ser apenas um termo em alta e se tornou um objetivo de alta prioridade para as empresas. 

De uma hora para outra, as equipes de TI se viram responsáveis por implementar, dar suporte e proteger uma força de trabalho que se tornou remota. Para aumentar o desafio, muitas empresas tiveram que mudar o próprio negócio de um local físico para a web, para gerar receita.

Essa mudança repentina no ambiente de trabalho e no modelo de negócios não teria sido possível sem a nuvem. Para manter a produtividade e a continuidade dos negócios, elas logo adotaram soluções SaaS, como o Office 365, e moveram para o armazenamento em nuvem os arquivos essenciais para os negócios, para que pudessem sempre ser acessados por quem precisasse.

Assim que descobriram o valor e os benefícios das plataformas e aplicativos baseados em nuvem, muitas empresas os adotaram definitivamente. Mas, com todos esses dados altamente sigilosos e privados das empresas enviados e armazenados na nuvem, as equipes de TI também estão buscando nela recursos de backup e recuperação de desastres seguros.



Backup local versus backup na nuvem

Quando se trata de proteção de dados, as soluções de backup no local são uma ótima opção em muitos casos. Os backups em fita e disco são rápidos e seguros e oferecem recursos para uma rápida recuperação. No entanto, além dos backups on premises estarem expostos a ameaças direcionadas, também há custos contínuos associados à aquisição, armazenamento e manutenção do hardware físico.

O interessante do backup na nuvem é que ele não precisa de nenhum hardware porque os dados são copiados para um servidor externo, normalmente gerenciado por terceiros. Além disso, os dados do backup na nuvem também podem ser acessados com facilidade e o espaço alocado para eles pode ser rapidamente expandido de acordo com a necessidade da empresa.

Por que as equipes de TI precisam de backup na nuvem?

Ao voltarem ao ritmo normal depois da pandemia, muitas empresas continuarão a utilizar os serviços e as soluções em nuvem para manter um ambiente de trabalho remoto permanente, adotar um modelo de trabalho híbrido ou planejar proativamente a continuidade dos negócios.

O backup em nuvem desempenha um papel crucial em cada um desses cenários e na transformação digital em geral, oferecendo os seis benefícios essenciais a seguir. 

1. O backup em nuvem é flexível.

A nuvem pode ser acessada em qualquer lugar com conexão à Internet e esse fator, por si só, a torna um componente crítico para uma estratégia de recuperação de desastres eficaz. O processo de restauração de sistemas do seu backup na nuvem pode ser iniciado rapidamente, por qualquer pessoa com as permissões apropriadas, sejam quais forem as condições do local do seu negócio físico.

2. O backup em nuvem é escalável.

O crescimento dos dados é sempre constante, agora, devido ao grande número de pessoas que ainda trabalham e socializam online. Mas isso pode mudar conforme o mundo voltar, lentamente, a se abrir. 

Os serviços de backup em nuvem cobram apenas pelo espaço que você usa, portanto, é possível aumentar a escala se a demanda crescer hoje e, depois, reduzir, quando a carga diminuir. 

3.  O backup em nuvem é confiável.

Quando seus dados e sistemas essenciais para os negócios são copiados para a nuvem, você não precisa se preocupar se eles vão desaparecer com um furacão, incêndio ou outro desastre. Muitos provedores de backup em nuvem também oferecem recursos de monitoramento e relatórios para você acompanhar e resolver com facilidade problemas que possam afetar as iniciativas de recuperação mais tarde. 

4. O backup em nuvem economiza dinheiro.

Adotar a nuvem é uma maneira econômica de proteger os dados e oferece várias maneiras de reduzir custos. Não há hardware para comprar, armazenar e manter, o que é já uma economia imediata de custos. Sem equipamento on premises para gerenciar, não há necessidade de contratar funcionários caros em tempo integral, eliminando uma despesa substancial de longo prazo. 

E, para terminar, é fácil conseguir verba para o backup em nuvem. Como o seu contrato com o provedor cobre uma quantidade específica de espaço e alguns serviços, os custos são previsíveis, sem surpresas no final do mês.

5. O backup na nuvem acelera a recuperação de desastres.

Fazer backup na nuvem oferece a tranquilidade de que seus dados estarão atualizados e prontos para serem restaurados após um incidente de segurança, interrupção não planejada ou qualquer outro desastre.

Não há espera até que as condições melhorem para iniciar a recuperação porque a nuvem pode ser acessada em qualquer local. E, como o backup dos dados acontece automaticamente depois da configuração inicial, a cópia mais recente dos seus dados está sempre disponível. 

6. O backup em nuvem é seguro.

A segurança de dados é de alta prioridade para os profissionais de TI, especialmente depois de tudo que eles tiveram que enfrentar em 2020. O número de ataques de ransomware está crescendo, as equipes distribuídas aumentaram a superfície de ataque das empresas e os criminosos cibernéticos visam cada vez mais a infraestrutura essencial, como as redes de instituições de saúde.

O backup na nuvem oferece mais camadas de segurança porque criptografa os dados antes, durante e depois da transferência. Armazenar uma cópia dos dados essenciais completamente separada da rede da empresa garante que eles não sejam corrompidos por novos tipos de ransomware que visam especificamente os arquivos de backup.

Agregando o backup em nuvem à sua estratégia de recuperação de desastres

Os backups em nuvem não são perfeitos, mas, no ambiente corporativo incerto de hoje, fazer backup na nuvem é importante do ponto de vista financeiro, de segurança e continuidade dos negócios. Ele deve fazer parte de uma estratégia geral de proteção de dados. Baixe o guia Como montar um plano de recuperação de desastres para saber como minimizar o tempo de inatividade, eliminar a perda de dados e proteger sistemas e aplicativos vitais durante e após uma crise.